Direções e Luzes - todo fim é um novo começo



Vivas ao grande herói Sol que adentra o signo de Capricórnio 21/12, quando seu regente Saturno está em Escorpião e, portanto, em mútua recepção com Plutão. O Magnânimo, sentado no trono do Senhor do Tempo, aumenta em força e profundidade as questões relativas à estrutura, individualidade, lugar no mundo e às concretizações humanas na matéria.
Vênus, também em Capricórnio desde novembro, continua nesse signo até março 2014, em ritmo lento, como que caminhando para trás... Na verdade, o que os olhos de quem os arregala como São Tomé não vêem, é que a direção do movimento do Amor, incide agora, e durante os próximos 4 meses, para dentro e para o fundo da escuridão do corpo e do inconsciente que há de parir uma nova consciência planetária.
Que dessa caverna brote a luz e a aceitação da humildade e grandeza de saber-se humano. Sim, é no interior que se aprofundam as questões relativas a revisão necessária de temas como relacionamentos, ambição, poder, amor maduro, conhecimento de si, esquecimento de si...
É menos um apegar-se a teorias e espelhos que objetivem uma identidade, uma imagem do self e mais um abrir de espaços interiores para a derradeira verdade de que somos a um só tempo a ínfima gota solitária e todo o mar...
A Lua está em Leão, em festa, como se fosse o próprio Sol - ego e espírito.
Ela, guardiã do fio prateado que nos traz à vida e nos dá passagem para a morte, nos envolve hoje com a alegria de desfrutar do calor e da companhia dos bem amados, sem grandes reflexões. Palpita, criança e fogosa e não seria de bom tom negligenciar um brinde a seu palpite.
Porém, já na tarde de domingo quando se harmoniza por elemento com a Vênus, dará escuta a esse movimento interno, persistente... e aí, talvez descubramos satisfeitos, que a exigência de amor exclusivo só nos faz sofrer. Percebamos que é possível, apesar do medo, o sair de si para reconhecer o lugar do outro. E que ainda vislumbremos, que os dons de todos, somados, nos faz mais fortes e libertos, para enxergar as sementes do amor, guardadas generosamente, em cada ser sobre a Terra.
Quiça essa Lua em nós, não mais tão cheia de si, pois vem minguando, centralize os nossos corações no amor maduro dessa Vênus Caprina que aponta determinada o caminho para dentro da gente.
Para que subamos com determinação as montanhas internas, circundando vales, transpondo abismos, seguindo sempre em frente...e além do espelho.
Quem sabe a gente se permita perder a identidade, para encontrá-la sem face e sem forma num lugar de paz dentro do peito.
Coração alado no Ar, a andar com leveza sobre a Terra, transformar-se corajosamente no Fogo e entregue inteiro às Águas transparentes do amor maduro, onde somos todos - oceano.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente este artigo: