Lua de Sangue, sangremos pois.



Toda terça feira é dia de Marte, o dia do guerreiro, do herói em ação na luta da vida. Esta terça, porém, será o dia do anti-herói, já que os Céus proclamam um mínimo de ação e um esforço maior no acolhimento de emoções emergentes. Nosso universo sentimental está vulnerável e prestes a se derramar. 
Somando-se à cruz cardinal que se desenha há meses no Céu e onde Marte é um de seus vértices, temos ainda Júpiter, Urano e Plutão em cada um de seus lados, sustentando um nível sobre humano de tensão que vem pipocando nos 4 continentes e "cozinhando" um stress tal, que é como estar numa panela de pressão, prestes a explodir.
 No dia 15/04, mais precisamente às 1:15 da madrugada, teremos um eclipse lunar total. Esse fenômeno ocorre quando a Terra se alinha entre a oposição do Sol e da Lua e esta penetra no cone de sombra projetado pela Terra. Ao invés do máximo brilho da lua Cheia, teremos uma aparente escuridão.
A Lua se mostrará vermelha, exposta e nua, vertendo-se em sangue e conjunta a Marte nos tons e sobre tons vermelhos das paixões humanas. Já estamos sentindo, por vezes, uma dificuldade de racionalizar todas as mudanças que estão acontecendo dentro da gente. Emoções internas, por vezes incompreensíveis e que merecem respeito e cuidado. Voltar-se pra dentro é desmascarar o medo e ver-se completo em si mesmo e em harmonia com o todo.
Toda Lua Cheia representa o ápice de um ciclo que teve início com a Lua Nova. No caso, essa lunação ariana vem trazendo novos começos e com Urano nesse signo, também finais repentinos. Portanto, um eclipse é sempre uma oportunidade de olhar pra dentro, pois, como fica mais difícil racionalizar, só nos resta aguçar a percepção sensorial. Sentir, intuir, meditar e confiar. 
Acontece também, que estamos na semana vivenciada entre os cristãos como a Paixão de Cristo e no dia exato em que os judeus comemoram a Páscoa Judaica. Analogias ao fim do mundo, salvação dos pecados pelo sangue do cordeiro (Áries) etc, são simbologias que merecem uma nova leitura a fim de validar a entrada do novo. O desejo maior de uma era de maior consciência sobre a Terra. 
Precisamos questionar crenças obsoletas de diferenciação pelo sangue de raças, povos, religiões, etc, não apenas com as células cerebrais, mas com as entranhas do corpo. O corpo é mais sábio que os pensamentos que circulam no astral! 
Que Marte em Libra, cansado de guerra, possa nos inspirar a revolução do amor, para que prevaleça a consciência de uma única raça: a humanidade. (Vênus conjunto a Netuno em Peixes). 
Que essa e as outras Luas de sangue que virão ainda em 2015, possam simbolizar o lenitivo para essa sangria interminável que tem sido a disputa de egos sobre a Terra.
E que o encontro de almas seja de êxtase e alívio, após a explosão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente este artigo: